quarta-feira, 11 de agosto de 2010

O Flamboyant



Era uma ruazinha simples
Sem nenhum encanto
Não havia pássaros, nem canto
Ao final daquela rua avistava-se uma árvore frondosa.
Flores alaranjadas bailavam no ar
Desatavam-se as folhas em um vôo livre rumo aos céus
O vento sorria extasiado com rara beleza
Ao chão, um tapete colorido e perfumado
Aproximei-me mais
Deixei-me fascinar
Gotas poéticas inundaram os meus olhos
A rua enchera de poesia
de cores e fantasias
Ah! O flamboyant!

Arnalda Rabelo

7 comentários:

  1. Coisa mais linda amiga!
    Fascinada aqui!

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. " (...) A rua enchera de poesia
    de cores e fantasias
    Ah! O flamboyant! "

    Lindo !
    Parabéns, Poetisa.
    Te Beijo

    =- Bruno de Paula -=

    ResponderExcluir
  3. Olá amada, estou passando pra dizer que fiz o selo oficial de meu blog e estou compartilhando com todos aqueles cuja essencia ilumina meu cantinho. E voce é uma dessas pessoas cheias de luz!
    Espero que aceite com todo carinho. Está em minha última postagem.

    Beijo no coracao! :)

    ResponderExcluir
  4. É de fato uma linda árvore quando floresce e seu poema dá o tom da primavera que breve chegará.
    meus abraços Arnalda

    ResponderExcluir
  5. Olá Arnalda: Era um rua simples mas com uma linda arvore e bem florida.
    Um beijo
    Santa Cruz

    ResponderExcluir
  6. Oi flor me indicaram um selinho, e eu estou te repassando depois passa no meu blog e pega pra ti, Tu faz parte da minah fonte de Inspirações Beijos flor

    ResponderExcluir
  7. Irmã, vc me fez recordar a infância, o caminho da escola e o caminho de volta pra casa pela faixa verde...td muito lindo e encantador aos olhos de uma garotinha e hoje fascinante num poema tão belo! Bjs...

    ResponderExcluir



Os direitos autorais são protegidos pela lei nº 9610/98, violá-los é crime estabelecido pelo artigo 184 do Código Penal Brasileiro.