terça-feira, 12 de abril de 2011

Outono ...



Paletas de cores rubras encantavam a pupila
O vento trazia o perfume das flores frescas
colhidas no campo.
Perfumes de frutas doces colhidas no pé
Perfumes de mato verde após a chuva
Perfumavam o sonho inteiro ...

O sol flamejava as pedras afogueadas
... Aqueciam o jardim


De repente
Calaram-se as vozes do vento
Adormeceram-se as flores sobre as
folhas ...
Calma! As flores apenas adormeceram.


Arnalda Rabelo

2 comentários:

  1. sempre maravilhosa!

    bjins Arnaldinhaaaaa

    ResponderExcluir
  2. Amiga um poema maravilhoso, uma homenagem linda ao outono. Hoje passei especialmente para lhe desejar uma Páscoa muito Feliz, que Ela nos traga uma mensagem de Paz, Harmonia, Esperança e Amor.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir



Os direitos autorais são protegidos pela lei nº 9610/98, violá-los é crime estabelecido pelo artigo 184 do Código Penal Brasileiro.