sábado, 15 de agosto de 2009



Ah! Se eu pudesse!

No silêncio desta tarde calma
Onde o sol se esconde lentamente no horizonte
Avisto um coração ora triste, ora alegre...
Se escondendo por trás de uma doce face

Se eu pudesse transporia os montes
Deitaria sua cabeça em meu colo
Falar-te-ia de amor... Abraçar-te-ia fortemente
Diria que o inverno já passou
Que os céus sorriem junto aos colibris

Se eu pudesse escrever-te-ia um poema
Com tintas brilhantes falando de fantasias
Entraria pelas arestas... Fazendo festa
Viveria somente para você e você para mim

Ah! Se eu pudesse!

Arnalda Rabelo.

6 comentários:

  1. Oi Arnalda, delicados versos num adorável poema. Meu carinho.

    ResponderExcluir
  2. Arnalda querida,

    Vim aqui sentir o perfume de seus poemas...
    Lindo demais!!!

    (...)Se eu pudesse escrever-te-ia um poema
    Com tintas brilhantes falando de fantasias
    Entraria pelas arestas... Fazendo festa
    Viveria somente para você e você para mim
    Ah! Se eu pudesse!

    Parabéns!!!

    Bjs,

    Reggina Moon

    ResponderExcluir
  3. oi Arnalda,
    gostei muito dos seus poemas.
    meu email abracept@abracecultura.com
    sou amiga da sandra
    grande abraço
    Rosangela ( Nina Reis)
    poeta e editora

    ResponderExcluir
  4. Querida Arnalda!
    Apaixonante - esta é a palavra certa para definir este seu poema. Muita sensibilidade, ternura, leveza... compõem seus lindos versos. A gente mergulha e não quer voltar à tona, não!
    Bjs.
    Roberto Abreu

    ResponderExcluir
  5. Se eu pudesse transporia os montes
    Deitaria sua cabeça em meu colo
    Falar-te-ia de amor... lindíssimoooooo

    Parabéns Arnalda______Beijos meus!

    ResponderExcluir



Os direitos autorais são protegidos pela lei nº 9610/98, violá-los é crime estabelecido pelo artigo 184 do Código Penal Brasileiro.